Comunique o achado de um pingüim anilhado

Na América do Sul sete espécies de pingüins podem ser encontradas, distribuídas ao longo da costa dos Oceanos Atlântico e Pacífico. Todos os anos, centenas, senão milhares de pingüins morrem com suas penas cobertas de petróleo e também devido a outros desequilíbrios provocados pelas atividades humanas. O trabalho realizado por IFAW e outras instituições para tratar e reabilitar pingüins afetados pelo petróleo e liberá-los de volta ao seu habitat é parte de um programa vital para salvar estas espécies deste tipo de ameaça.

As informações obtidas sobre as aves anilhadas e liberadas é crítica para ajudar os pesquisadores a determinarem o êxito da reabilitação e potenciais problemas ambientais. Ainda, as informações sobre a localização das anilhas ajudam os estudiosos a um maior entendimento da vida destes animais. Somente quando tivermos feito tudo o que está ao nosso alcance para entender a Natureza é que teremos uma visão real do que é o nosso impacto sobre o Planeta.

As anilhas IFAW para pingüins possuem um código de duas letras (IF) seguidas por um traço e uma seqüência numérica, que se inicia em IF-0001. Estas letras auxiliarão os pesquisadores trabalhando nas colônias naturais a reconhecerem as anilhas IFAW, sem a necessidade de capturar as aves. Do outro lado da anilha estão as informações de contato. Na face que toca o corpo da ave existe um link para esta página de internet e um telefone de contato no Brasil para comunicar as anilhas encontradas.

Formulário para o relato de localização de um pingüim anilhado